1 de mar de 2010

Genial, completo e quase desconhecido

Compositor, multi-instrumentista, cantor, publicitário, maçom e escritor, Zé Rodrix, nome artístico de José Rodrigues Trindade, nascido no Rio de Janeiro em 25 de novembro de 1947, trilhou uma carreira brilhante durante toda sua vida. Estudou no Conservatório Brasileiro de Música, desenvolvendo a característica da multi-instrumentalidade: tocava piano, violão, acordeão, flauta, bateria, saxofone e trompete. Tornou-se conhecido em 1967, ao vencer o III Festival na TV Record daquele ano, acompanhando Marília Medalha, Edu Lobo e o Quarteto Novo defendendo a música Ponteio. Na década de 1970, participou da banda Som Imaginário com Wagner Tiso, Robertinho Silva, Tavito, Luís Alves e Laudir de Oliveira, tocando ao vivo com Milton Nascimento e participado do LP de estréia da banda.

Após o desligamento da banda em 1971, venceu o Festival da Canção de Juiz de Fora, junto a Tavito, com a canção Casa no campo, uma de suas composições mais famosas, que se tornaria um grande sucesso na voz de Elis Regina, e cujo trecho da letra ("compor rocks rurais") batizou o estilo de música, com influências regionalistas, tropicalistas, folk, country e rock, tocada pelo trio do qual faria parte logo em seguida, junto a Sá e Guarabyra (da esquerda para direita: Sá, Rodrix e Guarabyra), conhecido como rock rural. Nessa época, compôs músicas como Mestre Jonas, Ama teu vizinho, Blue Riviera, O pó da estrada, Os anos 1960, Pindurado No Vapor, Primeira canção da Estrada, Ribeirão, Zepelim, dentre várias outras, além de um famoso jingle criado por encomenda da J.W.Thompson para a Pepsi, notabilizado pelo verso: "só tem amor quem tem amor pra dar".

Zé Rodrix saiu do trio em 1973, para seguir em carreira solo e participações especiais em gravações de artistas diversos, como o disco de estreia do Secos & Molhados, no qual toca piano, ocarina e sintetizador. Passou a se dedicar mais na área de publicidade que musical na 1980, mas em 1983, o músico passou a integrar o grupo Joelho de Porco, com o qual gravou o LP e participou do Festival dos Festivais em 1985, ganhando o prêmio de melhor letra pela música A Última Voz do Brasil. Entre 1989 e 1996 assinou a direção musical dos espetáculos Não fuja da Raia e Nas Raias da loucura, de Sílvio de Abreu, e do programa Não fuja da Raia (Rede Globo), estrelado por Cláudia Raia. Em 1993 foi contemplado com o prêmio Kikito, no Festival de Cinema de Brasília, pela trilha sonora do filme Batman e Robin.

Em 2001 reuniu-se novamente a Sá e Guarabyra, tendo seu show de estréia ocorrido no Rock in Rio III. Logo após o lançamento em 2001 de Outra Vez Na Estrada, com o trio, Zé Rodrix conheceu o Clube Caiubi de Compositores, em São Paulo, e passou a desenvolver parcerias com novos autores da música brasileira, entre eles Sonekka e Reynaldo Bessa. Rodrix morreu no início da madrugada do dia 22 de maio do ano passado, após sentir-se mal e ser levado ao Hospital das Clínicas, em São Paulo, cidade onde residia. Foi casado com a atriz Norma Blum e com a ex-Frenéticas Edyr de Castro. Estava casado com a escritora e produtora Julia Rodrix. Teve seis filhos: Marya, Joy, Mariana, Rafael, Antonio e Bárbara.

por
Toni Caldas

Nenhum comentário:

Postar um comentário