15 de mai de 2010

Encontro desmarcado

O relógio agora marca:
Marca o tempo e minha carne
Dor selvagem que me invade

Dormir é tão fácil, pois o sono me vence
Sobreviver, tão penoso, pois a dor me convence

Amarguras e feridas
Armaduras embutidas

Nada mais a declarar
Tudo se foi ao abdicar
Num raio feliz de manhã
Àquela sereia, bela e vã

T
oni Caldas

Um comentário: